Pequena reflexão sobre a licenciatura

Padrão

Trabalhar com educação deveria ser o emprego mais disputado, com pessoas mais bem-preparadas, com planos de carreira mais atrativos.

Professores devem ser formadores de opinião, portanto, pessoas altamente combativas, grupo de vanguarda!

Há quem diga que obviamente não é assim. Obviamente por que, cara pálida?

O que vemos, em todos os níveis da educação, são profissionais que seguiram na licenciatura por acharem que era mais fácil educar ou por falta de opção de cursos nas cidades que moravam.

Está incrédulo? Essa realidade é muito mais comum do que deveria, principalmente na educação infantil e no ensino fundamental I. Aí você pára e pensa “Mas não é justamente nessa fase que os minis precisam de mais atenção e cuidados pois estão formando seu caráter e valores?” Pois é, cidadão! Na prática, não é assim que funciona. Basta observar o currículo dos profissionais que estão nessa área.

Mas como mudar esse quadro? Que profissionais tão bem capacitados se sujeitam a salários e condições de trabalho aviltantes?

Sem desmerecer nenhum trabalho aqui, mas apenas para fazer um comparativo de funções, uma empregada doméstica possui mais benefícios em seu trabalho que um professor. Ou seja, os pais deixam mais satisfeitos a pessoa que limpa suas casas que a pessoa que ensina seus filhos. E facilmente são protegidas pela lei. De tempos em tempos é necessário fazer reajuste no seu salário por conta do transporte e o professor? Esse fica dez anos sem receber aumento e é completamente massacrado por fazer greve e lutar pelos seus direitos.

E o que é ainda mais revoltante é que a classe não se une e continuamos a encontrar professores acomodados com seus baixos salários e precárias condições. E isso está totalmente vinculado ao fato de termos cursos de licenciatura mal formulados e ministrados por profissionais que vivem numa bolha de ignorância… o lema é “Vamos jogar no mercado profissionais limitados, que cumpram tabela e que vão continuar alimentando a mediocridade humana que permite que essa corja de políticos continue no poder explorando todo um povo”.

O “obviamente” sai de uma mente formada e influenciada por tais profissionais limitados. Melhor ficar na zona de conforto e colocar um rótulo para o que é a educação no Brasil do que procurar formas de resolver o problema.

Pior ainda é o discurso que o professor faz seu trabalho por amor. Ninguém tem dúvidas que é necessário amar muito o próximo para trabalhar com formação de pessoas. Mas o amor não paga as contas.

Queridos leitores mestres, que suas almas resistam e revolucionem!

Amém!

Anúncios

Matéria sobre estresse!

Padrão

Acabo de ler uma matéria muito interessante sobre estresse na escola. 

Quando eu comecei esse blog, trabalhava em uma escola da prefeitura na qual podia identificar todas as causas apontadas na revista Nova Escola e, como não poderia ser diferente, cheguei numa situação de estresse limite e fiquei com minha saúde prejudicada por semanas.

Como anda o seu estresse? Teste!

Estresse não é brincadeira e pode trazer sérios danos ao organismo. Confira os principais sintomas:

• Aumento da pressão arterial;

• Falta de concentração;

• Dor de cabeça;

• Nervosismo;

• Insônia;

• Alergia;

• Isolamento;

• Memória fraca;

• Irritação;

• Ansiedade;

• Tique nervoso;

• Desmotivação;

• Diminuição dos glóbulos vermelhos;

• Indigestão;

• Queda de cabelo;

• Taquicardia;

• Ganho ou perda de peso.

A jornada de trabalho de um professor não pode ser encarada como a média, que o profissional trabalha 40 horas por semana. Além das horas em sala, o professor precisa estudar para preparar aulas de qualidade, bem como corrigir avaliações, pensar em projetos e se aperfeiçoar. Mas muitos colegas trabalham em mais de uma escola por causa do salário baixo que os obriga a aumentar a carga de trabalho para aumentar a renda.

Essa não deveria ser uma briga apenas dos profissionais da educação (que na maioria das vezes encontram resistência em seus próprios colegas para lutarem pelos seus direitos), mas sim de toda a sociedade!

Até quando vamos aguentar essa realidade, meu Brasil? 😦

Uma dica deliciosa!

Padrão

A dura realidade: quando você não faz parte do lugar-comum, deve curtir seus prazeres só.

Mas a minha semana foi abençoada pela visita do meu maior companheiro de cinema; meu paizão! E nessa delícia de visita, fizemos o que mais gostamos de compartilhar juntos; um bom filme!

Fomos até o Shopping Novo Batel e assistimos “O Exótico Hotel Marigold”, apenas em cartaz lá por ser classificado como uma comédia cult. A sessão, é claro, estava praticamente vazia, o que tornou nosso entretenimento mais delicioso, pois podíamos ainda fazer comentários durante todo o filme. 😀

O roteiro é light, com diálogos de muita delicadeza… (com um elenco britânico daqueles, nem poderia ser diferente!) e, embora a história se desenvolva sem muitas surpresas e possua alguns velhos clichês, o longa é um feel good movie!

Que delícia!!!! 😀 😀 😀

Ilustrações

Padrão

Queridos,

Hoje é dia de falar sobre ilustração! E por falar nisso, como está o trabalho do livro??? Aiaiaiai!!!

Vamos lá para alguns sites interessantes:

http://www.interney.net/blogs/guindaste/2008/08/22/10ilustradores/

http://www.sib.org.br/galeria.php

http://dgdavis.blogspot.com.br/

http://www.onegeeknation.com/tag/deivis-goetten/

http://scottmccloud.com/

http://www.willeisner.com/

http://www2.uol.com.br/laerte/

Para os perdidos, o nome do livro é “A Garota das Laranjas” do autor Jostein Gaarder e a entrega é no dia 22 de junho, dentro dos mesmos critérios do 1 Bimestre.

Qualquer dúvida, entrem em contato!

Um abraço e divirtam-se no mundo mágico da ilustração… 😀